24 de abr de 2010

Foi-se a querida ENILDA RIBEIRO!

Não esqueço o dia em que fui à sua casa e ela comprou o meu primeiro livro de poesia, 1985. Com alegria, Enilda olhou com carinho e disse: Fico com ele sim. Veja aqui, Demétrio. E abriu a bolsa...

Ela tinha um olhar profundo, mãos doces e delicadas e um gestual só dela. O jeito de se expressar. A voz sempre firme nos Encontros de Arquitetos. A presença no IAB-RS.

Encontrei-a há alguns anos no Parque Farroupilha. Lembro bem. Falamos pouquinho. Ela queria voltar para casa, estava acompanhada, e entrou num táxi. Foi tão rápido... Eu queria um pouco mais de tempo com ela. Tanto carinho no seu olhar!

Arquiteta que venceu o concurso que resultaria na construção do Colégio Júlio de Castilhos, um marco na educação em Porto Alegre, ela lutou pelos direitos humanos e sofreu com a ditadura.
Arquitetos? Muito lhe devemos: a FAU.

Ela estimulava ideias novas e apoiava a gente (digo gente porque ela era de um humanismo inconfundível). Empatia e compaixão. Batalhadora. Um exemplo de mulher cuidadora dos espaços construídos, da arquitetura sustentável, da qualidade ambiental.
Companheira de lutas pelos direitos dos arquitetos, pelo valor da profissão, pelas parcerias, pelo sindicato.

Viva Enilda, agora ao lado do seu querido Demétrio Ribeiro.
 
Obrigada por ter sido parte de minha vida. Feliz de quem conheceu você!

Marilice Costi  é arquiteta, arteterapeuta e editora da revista O CUIDADOR.
www.sanaarte.com.br

Nenhum comentário: